terça-feira, 23 de outubro de 2012

Teses sobre o livre-arbítrio

Foto: Aires Almeida

Vi há dias num daqueles livrinhos de preparação para os exames que os deterministas moderados (ou compatibilistas) aceitam a tese de que os nossos actos são livres.

Atenção, isto é falso!

O que os deterministas moderados defendem é que alguns dos nossos actos são livres.
Os libertistas é que, esses sim, defendem que os nossos actos (todos, portanto) são livres.
Já agora, os deterministas radicais defendem que nenhum dos nossos actos é livre.

Parecem pormenores, mas não são. Além de que não há pensamento rigoroso que se dê ao luxo de desprezar os pormenores.

2 comentários: