quinta-feira, 14 de janeiro de 2010

O que é a Arte?


Todos nós sabemos o que é arte: é a música, a pintura, a literatura (a poesia), o teatro, o canto, etc. Mas será que conseguimos definir arte? Eis a questão…
   Bom… se não sabemos definir o que é arte, então como podemos saber que tudo o que acabamos de referir é arte? Será que existe algo em comum entre as diversas artes? Ou é apenas o hábito de chamar ”arte” a todas elas?
    Será que uma obra de arte tem certas características que a distingue de tudo o que não é arte? Se assim for então que características são essas?
     Apesar de estas serem perguntas básicas, e já agora, a filosofia trata de perguntas básicas, estas perguntas fazem parte de um leque de questões que a filosofia da arte se encarrega de debater.
Para ajudar a reflectir sobre este pergunta, tomamos a liberdade de salientar as respostas de alguns filósofos bem conceituados.

ARISTÓTELES: «Pois tal como há pessoas que, por arte ou por hábito, imitam coisas com cores e formas, ou com a voz, o mesmo acontece com as artes atrás mencionadas: todas elas imitam separadamente ou em conjunto, recorrendo ao ritmo, à linguagem e à harmonia.» Esta teoria limita-se a defender que tudo o que é arte é imitação (que a imitação é uma condição necessária da arte) e não defende que tudo o que imita é arte (a imitação não é uma condição suficiente). Designa-se por teoria da arte como imitação.

LEÃO TOLSTOI: «O discurso, ao transmitir pensamentos e experiências das pessoas, serve como meio de união entre elas, e a arte tem um propósito semelhante. (...) Uma pessoa transmite a outra os seus pensamentos, pela arte. A actividade artística é baseada no facto de uma pessoa, ao receber através da sua audição ou visão a expressão do sentimento de outra pessoa, ser capaz de ter a experiência emocional, que motivou aquele que a exprime.» Esta teoria defende que o sentimento expresso pelo artista na sua obra tem de ser obrigatoriamente o que o público sentirá ao contemplá-la. É a teoria da expressão.

MORRIS WEITZ: «A arte, tal como a lógica do conceito mostra, não tem qualquer conjunto de propriedades necessárias e suficientes, logo, uma teoria da arte é logicamente impossível, e não apenas factualmente impossível. A teoria estética tenta definir o que não pode ser definido. (...) Todas as teorias apresentadas são inadequadas em diferentes aspectos. Todas pretendem fornecer uma descrição completa das características definidoras das obras de arte e, contudo, cada uma delas deixa de lado algo que as outras tomavam como central.» Morris limita-se a defender que todas as tentativas de definir a arte estão logicamente condenadas ao fracasso, pois não existe um conjunto de características comuns a todas as obras de arte.
Posto isto, em que ficamos? Será alguma destas teorias correcta? O que pensam?

8 comentários:

  1. Os modos de expressão de arte são múltiplos e diversos, de acordo com tendências, modas, interesses, necessidades, contextos culturais épocas,etc,etc... A ARTE, independentemente da forma como é expressa, é tudo aquilo que tem a capacidade de espantar ou surpreender de modo positivo. Ela deverá ser original e criativa. Concordo com MORRIS WEITZ, pois uma teoria da arte é logicamente impossível. Se fosse possível, era ou limitada ou castradora, mas a ARTE é um processo de libertação já que é criação. Prof Helena Soares

    ResponderEliminar
  2. Olá, Helena, boa reflexão.

    Permite-me que te faça uma pergunta. Tendo em conta o que escreveste, gostaria que me dissesses se uma paisagem impressionante, que nos espante e surpreenda de modo positivo também é uma obra de arte. Se o for, quem é o artista (o seu autor)?

    ResponderEliminar
  3. Boa pergunta...
    Se a criação for humana, o artista, em princípio, é o autor.
    Relativamente à paisagem de que falas, artista é aquele que tem a capacidade de com ela se impressionar e surpreender, tornando-a base para as suas expressões de arte.
    A arte está exclusivamente em quem a cria ou também em quem reconhece a obra de arte?

    ResponderEliminar
  4. ARTE é daquelas "coisas" difíceis de definir!! E por isso cada um tem a sua própria definição, a sua concepção do que seja arte ou outra coisa qualquer(senso comum). Quando penso em arte, penso em formas de expressão cultural, criativas e inovadoras, que têm a capacidade de causar impacto...

    ResponderEliminar
  5. Precisamente porque parece escapar a qualquer definição é que saber o que é arte continua a ser um problema filosófico muito discutido.

    Helena, uma coisa é o criador da obra de arte (o artista), outra é a própria obra e outra ainda é quem a aprecia. No artista está a capacidade criativa e no espectador a capacidade de a apreciar. Mas tudo isso é diferente da própria obra. A questão é, então, a seguinte: que características deve ter um objecto para ser classificado como arte (quer se trate de boa ou de má arte, pois esta também existe)?

    ResponderEliminar
  6. Realmente cada um tem a sua própria existência, mas estarão assim tão definidas as fronteiras entre criador, obra de arte e aquele que a aprecia?
    Afinal de contas nem sempre o artista crê que criou uma obra de arte. Muitas vezes quem o faz é quem a aprecia considerando o objecto como tal, seja bom ou mau. O objecto está lá, …agora a ideia de que ele é uma obra de arte, quem a criou?

    E será que a obra é só em si mesma a obra?
    E quando ela “assimila” o próprio criador?...ou é uma “extensão” dele?
    E quando o objecto só é rotulado como obra de arte porque tem por trás um NOME ?

    Que características deve ter um objecto para ser classificado como arte?
    Se calhar basta-lhe existir… se na arte há o bom e o mau e ambos cabem no conceito arte…
    HSoares

    ResponderEliminar
  7. ARTE deriva do latim habilidade/técnica. Arte segundo alguns não pode ser definida pois esta é mais do que uma simples pintura, é mais do que uma simples música, é mais do que um simples poema.
    A ARTE é uma forma de expressão subjectiva do ser humana é como que um “desabafo”, nele o ser humano expressa o que sente ou o que quer sentir.
    A ARTE para mim não é a produção em si mas sim o esforço o empenho a criatividade que o artista revela na realização de ALGO.
    ALGO a que hoje em dia dão o nome de ARTE.
    Eis um exemplo:
    Existe sim, grandes pessoas com grandes capacidades de criar, de realizar e de imaginar e que devido ao ser esforço ao seu empenho á sua criatividade conseguiram mostrar na mais pequena das oportunidades o que valiam e conseguiram ser reconhecidos como tal isto á uns séculos atrás. Hoje em pleno século XXI vêem se nas ruas pessoas com capacidades enormes de criar sem qualquer valorização como por exemplo os caricaturistas que para chamar mais atenção colocam numa cartolina o tempo limite que são capazes de fazer uma caricatura no Máx. 5 minutos alguns nem numa borracha agarram para apagar é impressionante como estas pessoas conseguem produzir ALGO em tão pouco tempo.
    Isto é um exemplo entre outros dos mais comuns em pleno século XXI.

    ResponderEliminar
  8. Sinto a arte como algo criado, independentemente do criador, mas que a sua criação, seja ela qual for, transmita algum tipo de sentimento ou pensamento, tanto para o seu autor como para aqueles que a contemplam. A arte é um meio de comunicação, há quem comunique e há, também, quem não comunique. É a arte da apreciação.
    ;O)

    ResponderEliminar